Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, English, Arte e cultura, Música, Leitura



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 meus desenhos
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
 
Cronicando




Escrito por Bruna Andrade / Leila às 01h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Papetes

 

Lá fora o céu despenca em lagrimas que se refletem em meu rosto... Ainda não me dei conta de que tudo que um dia foi, hoje não é mais... Que o que era móvel, hoje é intocado. Que o que era risada, hoje é silencio. As rosas pendem para o lado como se sentisse a áurea cinza ao redor. Todos dizem “ele era um homem bom...” era não... É... Palavras que saem e vagam até chegar aos ouvidos e baterem no cérebro, marcando como um ferro em brasa a mensagem: ele não esta mais entre nós.

“Seja forte” dizem os espectadores... Ser forte não significa erguer a cabeça e engolir as lagrimas, como se isso fosse algo nobre... Ser forte significa assumir que aquela pessoa que se foi nunca será substituída... Ser forte é se deitar sobre seu leito e chorar rios, soluçar como se essa dor não fosse passar jamais... Ser forte é bater no peito e dizer “sinto sua falta...” sejamos fortes então. Tenhamos honra. Vamos nos abraçar e chorar, pois aquela pessoa que um dia esteve, hoje esta, mas não ao nosso alcance. Esta apenas ao alcance dos olhos marejados, que se negam a aceitar aquela imagem de pálpebras fechadas, serenas, como se dissesse “não se preocupem, ainda estou ao lado de vocês”.

Suas papetes estão ao pé do sofá... Como dói ter que tira-las de lá...

 

Em memoria  Luiz Hungria.



Escrito por Bruna Andrade / Leila às 01h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Escrito por Bruna Andrade / Leila às 15h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Rodoviária

 

Virou-se de costas e andou prédio adentro, mãos nos bolsos... As mãos se soltam, como um nó se desfazendo. Entro no carro e olho para trás, conto os passos que você dá até desaparecer... Fito a calçada vazia...  Não só a calçada, mas meu peito também se encontrava naquele estado, como se uma mão de ferro segurasse meu coração e aos poucos ele parasse... A cidade parece... Morta... As luzes de natal se refletem em meus olhos úmidos... Encosto no vidro do carro, a sensação gelada não alivia a dor... Ela é interna de mais... Dói. E apenas isso... Dói...  Enquanto sinto o vidro gelado, um flashback passa em minha mente, como um filme mudo... As risadas, os beijos... A companhia...

 E a dor... Dói...

Escorrego um pouco no estofado... As palavras ditas no banco da frente entram em meu cérebro, mas não são absorvidas... O olhar vago parece até, de certa forma, demente, como se algo faltasse ali para que se tornasse completo... E realmente faltava...  Faltavam seus dedos entrelaçados nos meus... Quando me dou conta dos passos dados por minhas pernas, me encontro da plataforma nove, pessoas me olhando, fumaça de cigarro na atmosfera, quase que palpável de tão densa... Suas cartas se encontram de certa forma esmagadas pela tristeza das minhas mãos frias... Sento no chão e as leio, com a paciência de uma mãe olhando seu filho... Uma lagrima borra sua assinatura... Outros passos dados sem meu consentimento e estou dentro daquela caixa... A janela se embaça... E a dor, dói... Mordo os lábios com as sobrancelhas franzidas e os olhos fechados, como se um rim fosse arrancado do meu ser...Um soluço rouco escapa chamando atenção de curiosos e de senhoras piedosas, mas os espectadores nada fazem, apenas olham e se voltam para frente.

Nem em meus sonhos sua imagem deixa de me perturbar, seu sorriso assombra minha sanidade, sua doçura, seu riso... As unhas se cravam na pele para tentar desviar a dor do peito... Seu gosto continua em minha boca, as marcas de suas mãos em minha pele, como se uma brasa as tivesse marcado eternamente... E, apenas a esperança da próxima vez que possa pousar meus olhos nos seus se movimenta dentro de mim, quase cria vida...

Eu realmente odeio rodoviárias...



Escrito por Bruna Andrade / Leila às 15h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]